GeraisNotíciasTecnologiaTurismo

Elon Musk constrói maior foguete do mundo com técnologia inovadora

A empresa SpaceX de Elon Musk sofreu um revés quando seu colossal novo foguete, Starship, explodiu em seu voo inaugural.

Ninguém se feriu no teste não tripulado que decolou da costa do Texas na manhã de quinta-feira, horário local.

Após dois a três minutos de voo, o foguete – o maior já desenvolvido – começou a perder o controle e logo foi destruído por cargas a bordo.

O Sr. Musk declarou que sua empresa tentará novamente em alguns meses.

Os engenheiros da SpaceX ainda classificam a missão de quinta-feira como um sucesso. Eles preferem “testar cedo e frequentemente” e não têm medo de cometer erros. Eles terão coletado uma grande quantidade de dados para preparar o próximo voo. Um segundo Starship já está quase pronto para voar.

“Parabéns equipe @SpaceX por um emocionante teste de lançamento do Starship! Aprendemos muito para o próximo teste de lançamento em alguns meses”, tweetou Musk.

A Federal Aviation Administration, que autoriza lançamentos de foguetes nos EUA, informou que supervisionará uma investigação sobre o incidente. Um porta-voz disse que isso é prática padrão quando um veículo é perdido durante o voo.

O empresário tentou moderar as expectativas antes do lançamento. Apenas fazer o veículo decolar sem destruir a infraestrutura da plataforma de lançamento já seria considerado “uma vitória”, ele disse.

Seu desejo foi atendido. O Starship deixou seu complexo de lançamento na fronteira EUA-México e ganhou velocidade enquanto se dirigia para o Golfo do México. Mas ficou evidente em um minuto ou mais que nem tudo estava correndo conforme o planejado.

Enquanto o foguete subia cada vez mais, podia-se ver que seis dos 33 motores na base do veículo haviam sido desligados ou apagados.

E três minutos após o voo, era bastante claro que o fim estava próximo. Quando as duas metades do veículo deveriam estar se separando, na verdade, ainda estavam conectadas – e desviando do curso.

Quatro minutos após o lançamento, quando o Starship estava perdendo altitude, uma grande explosão rasgou o céu azul, resultado dos computadores acionando o Sistema de Término de Voo (FTS) do veículo.

“Com um teste como este, o sucesso vem do que aprendemos, e hoje aprendemos uma quantidade imensa sobre o veículo e os sistemas terrestres que nos ajudarão a melhorar em futuros voos do Starship”, disse a SpaceX em um comunicado.

O segmento superior do Starship, também conhecido como a nave, já havia voado anteriormente em saltos curtos, mas esta foi a primeira vez que foi lançado com seu estágio inferior.
hurb-space
Este imenso propulsor, simplesmente chamado de Super Heavy, foi disparado enquanto estava preso ao seu suporte de lançamento em fevereiro. No entanto, seu conjunto de motores naquela ocasião foi reduzido à metade de sua capacidade.

Se, como prometido, a SpaceX utilizou 90% da força na quinta-feira, o estágio deveria ter fornecido algo próximo de 70 meganewtons.

Isso é o dobro da força produzida pelo foguete Saturn V, que famosamente enviou homens à Lua nas décadas de 1960 e 70.

O Starship pode não ter destruído sua plataforma de lançamento, mas fotos posteriores indicaram que a partida vigorosa causou uma boa quantidade de danos às superfícies de concreto.

O plano para a missão era enviar a nave para uma revolução quase completa da Terra, terminando com um pouso no Pacífico, a algumas centenas de km ao norte do Havaí.

Não havia expectativa de que a nave ou o Super Heavy fossem recuperados. No entanto, a longo prazo, esse é o plano. A ideia é pousar ambas as metades, reabastecê-las e lançá-las novamente – repetidamente.

Se isso puder ser alcançado, será transformador.

O Starship tem uma capacidade de carga projetada para órbita de mais de 100 toneladas por voo. Quando isso é aliado ao baixo custo de operação – principalmente, apenas o custo do combustível – deverá abrir a porta para um futuro empolgante.

“Na indústria, certamente há uma expectativa muito alta quanto ao potencial desse veículo para inovação”, disse a consultora espacial Carissa Bryce Christensen.

“Sua imensa capacidade, do ponto de vista comercial, pode ser significativa. Um veículo muito grande que é aprovado para humanos pode ser importante para o surgimento do turismo espacial. O outro elemento é o veículo ser barato. Então, temos um veículo com dois aspectos transformadores – capacidade massiva e, potencialmente, a um preço muito baixo”, disse a CEO da BryceTech à BBC News.

O empresário inicialmente usará o Starship para lançar milhares de satélites adicionais para sua constelação de internet de banda larga no céu – Starlink.

Apenas quando os engenheiros estiverem confiantes na confiabilidade do veículo, eles permitirão que as pessoas voem no foguete.

A primeira missão já foi organizada. Será comandada pelo bilionário empresário americano e piloto de jato rápido Jared Isaacman. Ele já voou para o espaço em uma cápsula Dragon da SpaceX.

O primeiro voo ao redor da Lua será realizado pelo bilionário japonês da moda Yusaku Maezawa. Ele levará oito artistas com ele como parte de seu projeto DearMoon.

A agência espacial americana, NASA, quer usar uma versão do Starship para pousar seus astronautas na superfície da Lua.

What’s your Reaction?
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
Posts relacionados
GeraisLoon Factory

Virgin Galactic revela novo avião espacial suborbital

PlataformaSustentabilidadeTecnologiaUncategorized

Hurb: Comprometimento com o SLA e Operações Bem-Sucedidas em 2024

ArgentinaArgentinos no BrasilArte e CulturaCulturaCuriosidadesDestinosDestinos ImersivosDicas de ViagemEspeciaisEventosFestivaisFutebolGastronomiaGeraisHotéisHurbLGBTQIA+MochilãoRomânticoTurismoUncategorizedUrbanoViagensVida Noturna

Vivencie o Turismo Esportivo em Buenos Aires, Argentina

ArteArte e CulturaBrasilCulturaCuriosidadesDestinosDestinos ImersivosDicas de ViagemEventosFestivaisHotéisHotéisHurbMochilãoMúsicaResorts e HotéisRio de JaneiroTecnologiaTurismoViagensVida Noturna

Tudo sobre Rock and Roll: conheça a História da Revolução Musical e Cultural!